Evite que a burocracia comprometa a segurança digital da sua empresa

, , ,

A burocracia presente atualmente nas corporações muitas vezes atrasa processos dos mais variados setores. Segundo levantamento realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), 94,7% das empresas brasileiras consideram que os entraves burocráticos dificultam o desenvolvimento econômico; outros 91,4% acreditam que também afetam a competitividade do mercado. Com a segurança digital não é diferente.

A quantidade de processos por trás de implementações e atualizações de sistemas de segurança, como falta de autorização por questões contratuais ou orçamentárias, tornam as companhias vulneráveis a diversos tipos de ataques que, muitas vezes, poderiam ser evitados com medidas simples, como uma atualização de sistema operacional ou a manutenção correta dos dispositivos de segurança.

Temos visto no decorrer deste ano vários casos de ataques massivos causados por malwares que utilizam brechas de sistemas operacionais para sequestrar dados em troca de pagamentos por criptomoedas. Grandes instituições, hospitais e diversas outras empresas tornaram-se reféns de uma situação, no caso do WannaCry, que poderia ter sido evitada por meio de uma simples atualização disponibilizada dois meses antes de todo o caos.  

Torna-se requisito básico para a segurança digital efetiva de uma empresa contar com uma boa governança de T.I que esteja alinhada com processos e diretrizes, e que priorize a proteção dos dados e arquivos. Além da realização de investimentos constantes nos melhores softwares e soluções – que devem ser atualizados regularmente –, é necessário apostar na certificação dos técnicos de segurança e das equipes. Esse processo deve ocorrer periodicamente para assegurar a renovação completa de todo o setor, buscando profissionais e ferramentas cada vez mais qualificados. Assim, as organizações passam a ser capazes de criar uma cultura organizacional que promova a constante manutenção dos sistemas e atualizações, algo que deve ser tratado como prioridade.

É importante também que a área de TI esteja próxima do board para monitorar e realizar um planejamento que detecte vulnerabilidades e evite perdas. Dessa forma, todos os riscos são antecipados e a prevenção passa a vir em primeiro lugar. A mudança de mentalidade da remediação para a prevenção é um desafio das organizações para superar a burocracia e vencer a barreira dos múltiplos processos, porém é um esforço que vale a pena, pois impacta na segurança da empresa como um todo e garante a saudabilidade dos negócios.

0 respostas

Deixe uma resposta

Deixe seu comentário abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *