Saiba tudo sobre rede FTTH e seus benefícios!

Saiba tudo sobre rede FTTH e seus benefícios!

Conheça o modelo de rede mais usado atualmente e que permite desfrutar das vantagens que a fibra ótica oferece!

Se você já buscou sobre tipos de conexão banda larga, talvez tenha se deparado com informações sobre fibra ótica, uma tecnologia que faz uso de cabos produzidos a partir do vidro ou plástico capazes de refletir a luz no seu interior. Existem várias formas de fazer a entrega do sinal e a rede FTTH está entre as principais.

Quer saber se essa opção é a mais adequada para você? Com a ajuda do Jonas Carvalho, gerente de operações e redes da UPX, vamos contar o que é FTTH, como o modelo funciona e alguns outros pontos importantes. Vamos lá?

O que é FTTH? 

FTTH é uma sigla em inglês para "Fibra para casa". A ideia é entregar a comunicação de forma direta, do provedor à residência do usuário. A tecnologia é bem difundida e utilizada pela maior parte das operadoras de telecomunicações, assim como provedores regionais.

Um dos pontos fortes é a substituição da infraestrutura antiga de cobre, como o cabo coaxial, usado na TV por assinatura presente na casa de vários brasileiros. Aqui, diferença principal para modelos mais antigos é a tecnologia. 

Isso porque os cabos coaxiais são mais complexos e tem custo alto de manutenção. A tecnologia usualmente aparece em redes HFC (Hybrid Fiber Coax), uma categoria que usa simultaneamente cabos coaxiais e fibra.

Como FTTH funciona? 

O FTTH se destaca por ser uma rede passiva, dispensando a necessidade de amplificação do sinal, exceto em distâncias longas (acima de 70 km). Isso difere de outros tipos de infraestrutura. Par metálico e coaxial, por exemplo, contam com elementos energizados — sinais elétricos recebidos, repetidos e amplificados até chegar no usuário

Há pontos centrais em que as conexões do FTTH são gerenciadas por um OLT (Optical Line Terminal). O equipamento atua como um centralizador de redes e administra todos os usuários finais que usam o serviço.

O modelo ainda dispensa componentes elétricos que possam exigir manutenção. Nesse caso, a simplificação faz com que o espaço de conexão entre o usuário e a OLT seja majoritariamente composto de fibra ótica.

Quais são as vantagens do FTTH?

O primeiro ponto forte da rede FTTH é seu alcance. Dependendo das tecnologias de multiplexação (que permitem que mais de uma mensagem ocupe o mesmo meio de transporte), é possível ter, em uma única fibra, aproximadamente 250 a 1000 usuários. Isso representa um benefício para os provedores regionais, já que é mais barata, simples e consegue atender vários clientes ao mesmo tempo. 

O investimento e a manutenção de redes coaxiais ainda é mais caro, tornando a fibra uma alternativa mais econômica. A razão é o núcleo de cobre e os amplificadores da rede coaxial.

Outro ponto forte do FTTH é o fato de não ter interferência eletromagnética, evitando degradação e contato com redes de energia e radiofrequência. Os cabos coaxiais sofrem distorção com rádio, por exemplo.

Qual é a diferença entre FTTH e FTTC?

Como o FTTH, o FTTC é uma sigla e significa "Fibra para o poste". A ideia é similar ao FTTH, tendo como principal diferença o fato do sinal passar por um intermediário, um "switch" instalado nos postes de rua, antes de chegar ao consumidor final.

A gestão de redes funciona por protocolos mais antigos, como o TSL (Transport Layer Security). A conexão chega a um "armário de distribuição", próximo à residência do usuário. Aqui, o redirecionamento é feito e atende várias pessoas.

No FTTC, a conexão é compartilhada com vários assinantes ao chegar no armário. Mas em relação à fibra, ainda está sujeita a mais interferências já que não chega direto até o consumidor final.

FTTH ou FTTC: qual é melhor?

Tenha em mente que os dois tipos de rede atendem perfis diferentes. Ainda assim, o FTTH tende a se sair melhor ao comparar as duas conexões. Isso porque o sinal é menos suscetível a interferência eletromagnética.

Qual é a razão para isso? A resposta é simples. A rede FTTH literalmente leva a fibra para a casa, sem passar por intermediários. Já no FTTC, a fibra vai apenas até o armário. O caminho a para a residência é feito em par metálico ou coaxial.

Lembra dos problemas do cabo coaxial que citamos? Então, também aparecem no FTTC. Ao manter uma parte do trajeto sem fibra ótica, os benefícios da tecnologia também se tornam limitados.

Como funciona um projeto de rede FTTH?

Sabe a OLT que citamos no início do texto? Então, você vai precisar contar com uma para dar início ao projeto, dentro do PoP de acesso à internet.

A OLT é o que permite o gerenciamento das ONUs (Unidade de Rede Ótica), servindo como um “nó”. Se a OLT é o ponto central, as ONUs são pontos de distribuição. Os cabos chegam até essas unidades, capazes de gerenciar vários usuários.

O que acontece quando a conexão chega às residências? Há a comunicação com as ONTs, Terminais de Rede Óptica representados, por exemplo, pelos modems usados pelo usuário final.

Quais são os principais desafios? 

Há vários pontos que você pode prestar atenção. A resiliência da rede, por exemplo, representa um desafio para vários provedores. “É importante dispor de um bom mecanismo de redundância de fibra, prevendo duas ou mais abordagens para atender determinada localidade”, Jonas destaca.

Em um primeiro momento, provedores novos costumam começam com poucos recursos, sem o investimento em uma rede completamente resiliente e mantendo uma única abordagem de fibra ótica. O ponto negativo é a vulnerabilidade à degradação e interrupções.

A recomendação de Jonas é pensar estrategicamente pontos em que pode acontecer o rompimento dessa fibra e evitar certos locais, como postes com baixa altura, instalações com volume muito grande de fibra ótica e avenidas com chance alta de acidentes. A instalação subterrânea, nesse caso, pode ser uma alternativa.

A rede FTTH pode ser uma forma de aproveitar os benefícios da fibra óptica de forma direta, sem passar por amplificadores ou redistribuição. Por isso, figura entre as formas mais importantes de trazer conexão segura e estável ao usuário final.

Não se esqueça de que é importante manter o serviço sempre operante. Por isso, procure manter a OTL armazenada em um local com duas fontes de energia diferentes, assim como um gerador no PoP.

Lembre-se mesmo quando se está começando, algumas escolhas iniciais fazem a diferença na hora que a rede crescer. Gostou do conteúdo? Então, não deixe de compartilhar nas redes sociais!

Leia mais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades da UPX!
Cadastrado com sucesso! Obrigado.
Oops! Ocorreu um problema, tente novamente.